30 de março de 2014

HISTÓRIA DE ITIÚBA - A VIDA DO PADRE SEVERO




Nos tempos de outrora, o povo vivia concentrado no rico Povoado da Serra de Itiúba, Fazenda Tapera, Vale do rio Jacurici, na região do rio Grande, às margens do Itapicuru e nos extremos com Bonfim, nas fazendas Boa Vista e lá para as bandas da Serra Branca, perto de Monte Santo.

O padre Severo nasceu na Fazenda Junco em ITIÚBA, estudou e se ordenou na famosa faculdade de Coimbra, cidade de Portugal .

Pois bem, em 1819 o Padre Severo veio celebrar a sua primeira missa em São Gonçalo do Amarante da Serra de Itiúba. Um local cheia de lavouras, águas límpidas e de clima agradável, além de já existir a igreja de São Gonçalo e pouco mais de vinte (20) casas no local.

A maior povoação estava situada na Serra de Itiúba e na sede em Itiúba. Só existiam florestas de alguns índio perdidos na Serra do Sobrado, do Souza e às margens do rio Itapicuru-açu.

Lá na aldeia da Tapera, Severo possuía uma senzala com mais de cinquenta (50) escravos.

Para a construção de seu sobrado, vieram pedreiros, marceneiros e mestres de vários locais da Bahia. Iniciaram as obras e impulsionaram a construção do casarão, toda feita de pedras. Que depois de pronta se tornou a casa mais bela e bem feita de toda região, o mencionado casarão foi construída estrategicamente ás margens da Estrada Real.

A INAUGURAÇÃO DO SOBRADO DO PADRE SEVERO NA TAPERA.

No ano de 1830, o respeitado padre convidou os ricos do recôncavo da Bahia e barões de sangue real para a inauguração do seu vistoso palacete. 


Contam os antigos que as riquezas do Padre Severo eram guardadas em enormes baús e cofres pesados, abarrotados de moedas de ouro, prata e lindos cordões com medalhas cheia de brilhantes.



O Padre Severo, é bom que se esclareça, era um ativo chefe político na região. Também, na mesma ocasião, construiu a casa da Câmara ou da Intendência que podemos comparar as Câmaras de Vereadores de hoje, na Vila Nova da Rainha, hoje Senhor do Bonfim, o que mostra um perfil de homem de bom gosto e empreendedor. Possuia muitas propriedades para criação de gado. Portanto, não era um pobre coitado.

Outros alegam que a própria Igreja Católica, em nome de Deus, expulsou o Padre das suas fileiras. Existe um documento que comprova a expulsão não por ter roubado e matado mas, sim, por desobediência, como também aconteceu com o Padre Cícero, no Ceará. O Padim Cícero reconhecido pelo povo nordestino como Santo, e o nosso Padre Severo apenas é lembrado como mau-caráter.

Não é defesa, não é reparação, apenas a bem da verdade, engrossamos uma pequena fatia de estudiosos que não encontram evidências do monstro vestido de batina preta. Decorridos quase dois séculos não se descobriu a gruta que servia de cemitério para os assassinados. Um lembrete: quando jovens, o Manu, o Banduca, o Zezito e outros formaram uma expedição às tais locas, desceram em algumas, amarrados em cordas, e nada acharam, um osso, um pedaço de ferro, uma espora, que demonstrasse ter sido usada como túmulo pelos asseclas do indigitado Padre.

Outro fato intrigante é um desenho de autor alemão, encontrado pelo Wilton, publicado por volta do ano de 1820, que mostra a encosta da serra do tanque velho, portanto do lado da Estrada Real, um morro e ao lado um casarão com outras pequenas construções, com a seguinte legenda: serra da tiúba, tapera, que bem, poderia ser o PALÁCIO DO PADRE.

É verdade que tem sido encontradas moedas de prata em escavações das ruinas do CASARÃO DO PADRE. É pouco, mas provado fica que o Padre Severo nasceu em berço-de-prata e não de ouro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixe seu comentário aqui!